sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Obituário de uma relação

Já li sobre este assunto em 2 revistas diferentes. Primeiro foi na "Happy" mas desta vez foi numa publicação bem diferente, a "Sábado". Uma jornalista norte-americana, depois de sofrer um desgosto amoroso, teve a ideia de criar um "cemitério" virtual para as relações falhadas. O site existe há cerca de um ano e meio e já têm mais de 15 mil mensagens não só em inglês mas também noutras línguas incluindo em português. A ideia é escrever a história da relação falhada, falar dos ex e do que é que correu mal, enfim, é uma maneira de tentar aliviar a dor e ultrapassar essa relação falhada. Com este sucesso, a jornalista até já publicou um livro. A ideia é muito interessante. Qaundo precisei de "enterrar" uma relação falhada também ajudou falar sobre algumas coisas aqui no blogue. Alguns psicólogos dizem que uma relação que acaba, a dor é equivalente à dor de perder um ente querido. Isso significa que é necessário fazer o luto para seguir em frente. A quem precisar de escrever o obituário de uma relação (eu agora já não preciso, felizmente) pode fazer uma visita aqui.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Rosa, minha irmã Rosa


Hoje, a caminho de casa, fui ouvindo (com alguma dificuldade porque me roubaram a antena do carro) a Alice Vieira a conversar com Carlos Vaz Marques. O programa chama-se Pessoal e Transmíssivel e é, realmente, mais uma conversa do que uma entrevista. O Carlos Vaz marques faz as perguntas de uma maneira que mais parece uma conversa de amigos. Já ouvi vários programas e às vezes nem nunca ouvi falar das pessoas mas as conversas são, quase, sempre fascinantes. Mas hoje ouvi com mais atenção porque, quando era miúda, adorava ler os livros da Alice Vieira. O seu primeiro livro "Rosa, minha irmã Rosa" foi uma das minhas primeiras leituras. E ela falou com tanta emoção dos livros que leu na infância e na adolescência que me deu vontade de ir descobri-los. Tal como ela falou dos livros que a transformaram e a ajudaram a crescer, também eu cresci com as histórias que ela contava. Achei piada quando ela disse que já muitas vezes vaticinaram o fim do livro (aparecimento da bicicleta, do cinema, da televisão, da internet e todos os novos equipamentos mas o livro aguentou forte e aí está continuando a fazer sonhar quem se dá ao trabalho de virar as suas páginas.
(Imagem retirada da internet. Parece-me que era esta a capa na altura que li este livro)

Amália Hoje - Nome de Rua

Quando estou a conduzir, esta é uma das músicas que me acompanham. O pior é que costumo vir a cantá-la... começo logo o dia muito mais bem disposta.

domingo, 25 de outubro de 2009

Horário de Inverno


Esta mania de haver um horário de Verão e outro de Inverno sempre me fez uma grande confusão. Para já não se respeita a hora solar o que faria muito mais sentido mesmo a nível fisiológico já que o nosso organismo funciona através de um ritmo circadiano. Depois é uma chatice escurecer tão cedo. Nos primeiros dias sinto-me um bocadinho desnorteada.

sábado, 24 de outubro de 2009

Desafio "Quem é a Stiletto" (adenda)

No post anterior, esqueci-me de uma característica importantíssima:

- Desastrada assumida - passo o dia a rir com os disparates que faço, tropeço nas coisas, deixo cair, saltam-me coisas das mãos... há dias que pareço um elefante numa loja de porcelana!

Obrigada, Create, pela lembrança!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Desafio "Quem é a Stiletto"

A Create do blogue Imaginaaaa..., que é uma querida, imaginou na sua cabecinha, que era boa ideia desafiar-me. O desafio consiste em descrever-me através de 8 características. Vamos lá ver se consigo...
Simpática - gosto de enfrentar o dia com um sorriso, cumprimentar as pessoas com quem me cruzo e acolher bem os meus utentes. Esforço-me por ser estar bem disposta mesmo quando algo não corre bem porque os outros não têm culpa se a vida não nos corre às mil maravilhas
Tolerante - Os acontecimentos da vida foram-me ensinando a aceitar os outros apesar dos possíveis defeitos e das diferenças de opinião porque ninguém é perfeito. Ser paciente e tolerante é muito importante principalmente no meu trabalho.
Carinhosa - Com o meu amor, a minha família, os amigos, as crianças, os idosos... cabem todos no meu coração.
Vaidosa - Sapatos, malas, acessórios, casacos, calças... é sempre possível caber mais qualquer coisa no armário. As compras são um vício.
Distraída - Grande parte do meu tempo é passado à procura de qualquer coisa, mesmo que faça 10 vezes o mesmo trajecto ainda me consigo perder, esqueço-me facilmente do que ia fazer, bom, as minhas colegas de trabalho passam o tempo a abanar a cabeça e a dizerem: "- Oh, S." e, felizmente, ajudam-me muito a não provocar uma tragédia :)
Indecisa - Se houver dois caminhos nunca sei bem qual escolher, levo muito tempo a tomar uma decisão, se tiver que escolher entre dois objectos é um drama: levo este, não... levo o outro...não, não vou levar o primeiro. Às vezes é esgotante.
Preguiçosa - Há dias em que só me apetece ficar esticada no meu sofá ou na minha cadeira na praia a ler um belo livro e quietinha, quietinha... sem mexer um músculo.
e como não podia deixar de ser... Saber sentir-me feliz, como se pode perceber pelo nome que escolhi para este espaço. Para sermos felizes não é preciso que a nossa vida seja um conto de fadas, é, isso sim, perceber que, seja qual for a situação, há um lado positivo e uma maneira de saber ser feliz, seja só ou bem acompanhada, com dinheiro ou falida, saudável ou com alguma maleita mais ou menos grave. É uma escolha entre ser feliz ou ser amargurada. Eu escolhi e afirmo "é possível ser feliz..."

Agora desafio a Almofariza, a Blue Eyes, a Saltos Altos Vermelhos, Fátima Cristina e quem mais por aqui passar...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

E a chuva chegou...

Eu pedi tanto que o São Pedro fez-me a vontade, o Outono chegou. Escusava era de ter mandado um dilúvio a anunciar... hoje comecei o dia com dois duches, um em casa e outro a caminho do emprego. As calças ficaram completamente encharcadas até ao joelho e os sapatos estão molhados até agora.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

"Diz não a uma seringa em segunda"

Em 1993, a Comissão Nacional de Luta contra a SIDA era presidida pela Dra Odete Ferreira, brilhante farmacêutica e investigadora. Nesse ano, esta Comissão desafiou a Associação Nacional de Farmácias e as farfmácias suas associadas a um maior envolvimento na luta contra a SIDA. O desafio resultou no Programa "Diz não a uma seringa em segunda" que consistia na recolha, nas farmácias, das seringas usadas levando os toxicodependentes um kit contendo, na altura, 1 seringa, 1 preservativo e toalhetes desinfectantes. O objectivo era prevenir a transmissão endovenosa e sexual do VIH na população toxicodependente, evitando a partilha de seringas e o sexo sem protecção, bem como a defesa da saúde pública evitando o abandono de seringas usadas. Ao longo do tempo foram também criados postos móveis de troca de seringas bem como a troca em organizações não governamentais que trabalham na área. Entre Outubro de 1993 e Dezembro de 2004 foram recolhidas cerca de 32.846.581 seringas usadas sendo esta, provavelmente, uma das maiores acções de saúde pública do país e foi um programa pioneiro na Europa.
Hoje em dia, o kit traz 2 seringas, 2 toalhetes embebidos em álcool a 70º, um preservativo, uma ampola de água bidestilada, um filtro, duas caricas, duas carteiras de ácido cítrico e um saco com informação, enfim a constituição do kit foi sendo aumentada mas o procedimento continua a ser o mesmo, o toxicodependente entrega 2 seringas usadas e recebe um kit. Infelizmente, tudo o que é gratuito começa a ser desvalorizado, ou por outra, os toxicodependentes, que são tão doentes como os diabéticos ou os hipertensos, consideram que a troca de seringas constitui apenas um direito sem deveres. Cada vez mais se geram situações tensas, ou querem comprar, ou querem um kit sem levarem seringas usadas ou pior ainda compram 2 seringas novas e colocam-nas no contentor para lhes ser dado um kit. Eu, que sempre me esforcei para ser tolerante, começo a ficar farta destas situações. Sempre achei que este era um excelente programa de saúde pública com benefícios para todos e não só para alguns. Canso-me a explicar-lhes como é que o programa funciona mas não adianta que eles não ouvem nada nem ninguém. E estas situações são cada vez mais frequentes desde que os kits passaram a incluir ácido cítrico e as caricas uma vez que eles dizem, frequentemente, que precisam do material que vem lá dentro. A meu ver, desvirtuou-se a génese do programa, os toxicodependentes cada vez se preocupam menos em levar as seringas usadas. Quantas vezes tenho vontade de recusar dar o kit mas cedo para me defender e defender a segurança dos outro utentes. E a tolerância que tinha quando comecei a trabalhar é cada vez menor...


O texto é longo mas há dias em que este assunto me tira do sério.

(imagem retirada da internet)

domingo, 18 de outubro de 2009

Boa Baltazar!


A BlogGincana voltou. Desta vez a tarefa é visitar o blogue inscrito imediatamente antes do nosso e, baseada nesse blogue, responder a algumas perguntas. A mim calhou-me na sorte o blogue Boa Baltazar!. A autora é Fátima Cristina, brasileira, trabalha e vive na Áustria, mãe de dois filhos e, a julgar pelas fotos, de sorriso pronto e bem disposta como boa brasileira. Ora voltando à tarefa é suposto ler os últimos 3 posts (e eu fui lendo também alguns dos mais antigos), escolher um e apartir daí responder a estas perguntas:
-Porque escolheu este?
Eu escolhi Brincando num mundo de blogs. Este post é a resposta da Fátima à primeira tarefa da BlogGincana. A maneira como ela respondeu é muito divertida e original. Para além de escolher e comentar três blogues como era pedido na tarefa, a Fátima pegou nos nomes dos blogues inscritos e concebeu com eles um texto fantástico, onde todas as frases fazem sentido. Adorei...
- O tema é do seu agrado? Porquê?
Sendo o tema a blogosfera e as relações que se podem estabelecer na blogosfera, só podia ser do meu agrado já que sou uma viciada na blogosfera e não passa um dia em que que não passe os olhos pelos blogues mesmo quando não tenho tempo para comentar.
- Já frequentava esse blog? (Caso negativo, qual foi a sua impressão)
Já tinha passado por lá há pouco tempo na sequência da BlogGincana e depois de ter sido visitada pela sua autora. Gostei muito da introdução ao blogue e da imagem que faz acordar memórias da infância.
- A imagem utilizada neste post foi "roubada" do blogue Boa Baltazar!
- Faça uma descrição do blog. Comente todos os aspectos (positiva ou negativamente) que te chamaram a atenção
Depois de ler quase todos os posts deste blog, posso dizer que a Fátima Cristina coloca no seu blogue acontecimentos do seu dia-a-dia, de acontecimentos actuais, da sua vida familiar, dos seus amigos bem como resgata algumas memórias do passado como ela própria diz na introdução. Dessas memórias fazem parte a família que vive no Brasil (gostei muito dos posts em que fala da sua mãe emancipada) e dos amigos que foram passando pela sua vida. O único aspecto "negativo" é alguns dos seus posts são um bocadinho longos e o meu tempo é sempre tão curto mas a verdade é que são tão deliciosos que temos que ler até ao fim (como quando conta as peripécias que lhe aconteceram por não dominar bem o alemão) Um blogue que toca o coração de alguém que parece estar de bem com a vida. A visitar...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Faz doer...




No meu dia a dia, relaciono-me com muitos idosos. Esta faixa etária é aquela que vai mais à farmácia, naturalmente. E custa-me muito quando me apercebo da solidão a que muitos idosos estão sujeitos por não terem família ou por a família não os acompanhar devidamente. E isso dá que pensar... e, para piorar as coisas, alguns serviços de saúde ainda complicam mais a vida a estes doentes tão especiais. Ainda hoje lá esteve uma senhora que não tem família, tem muitos problemas de saúde e já vai algumas três vezes ao centro de saúde para a médica lhe passar as receitas dos medicamentos que ela precisa e não há maneira de a situação ser resolvida correctamente. Ou faltam medicamentos ou passa-lhe medicamentos aos quais a senhora é alérgica... Bom, cada vez que a senhora volta à farmácia é um drama e nós não conseguimos resolver a situação. Às vezes acho que há profissionais de saúde que deveriam desempenhar outras funções porque para se trabalhar na saúde é preciso gostar de pessoas... e ter muita paciência.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Post 300

Já consegui arranjar 300 coisas diferentes para dizer... E tanto coisa mudou desde a primeira mensagem publicada aqui. Este blog começou por ser o local para exorcizar os fantasmas de uma relação que acabou mal e foi-se tornando num espaço para comentar o que me vai acontecendo ou que vou observando no dia a dia. Continuo a acreditar que é possível encontrar uma maneira de nos sentirmos felizes sejam quais forem as circunstâncias da vida em que nos encontremos. Através da blogosfera fui descobrindo outras pessoas, outras maneiras de pensar e de ver a vida e isso tornou-me uma pessoa mais rica. Não consigo escrever tantas vezes quanto gostaria porque para partilhar é preciso ir vivendo em, por vezes, o tempo é limitado. E que venham mais 300 post...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

sábado, 10 de outubro de 2009

Lavores e ponto cruz

Há uns anos atrás, enquanto esperava pelo estágio, era viciada em ponto cruz. Depois de começar a trabalhar ainda fui fazendo mas a um ritmo mais lento. Aqui há tempos dei com esta toalha inacabada num armário. Hoje, depois de visitar uma feira de artesanato, deu-me vontade de voltar a pegar nela e acabá-la. Esta é uma excelente actividade para o Inverno, especialmente se estiver muito frio e chuva e que não haja vontade de sair de casa. Só resta saber se a chegarei a terminar...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Anúncio TMN

É má vontade minha ou o novo anúncio da TMN (aquele em que misturam os rostos de duas personalidades públicas) é um bocadinho parvo?

p.s. - lamento não poder exemplificar mas, de certeza, que já todos viram por aí na televisão, numa revista ou num outdoor...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Duas efemérides para um só dia...


Hoje comemora-se a Implantação da República em 1910, há 99 anos. Coincidência ou não, o dia 5 de Outubro já estava ligado à História de Portugal. Em 5 de Outubro de 1143, Afonso Henriques e Afonso VII de Leão e Castela assinaram o Tratado de Zamora a partir do qual Portugal se tornou um reino independente. Será que os republicanos escolheram esta data ao acaso ou propositadamente? Ou será uma "feliz" coincidência?

sábado, 3 de outubro de 2009

Actualização do Código da Estrada

Costa de Caparica



Via exclusiva a bicicletas e surfistas de todas as idades acompanhados das respectivas pranchas.

Um sinal que já fazia falta em algumas zonas do país ;)

Também poderá gostar de

Related Posts with Thumbnails