domingo, 4 de dezembro de 2011

A importância dos momentos simples

Ontem fui a um casamento. Simples, com poucas pessoas mas nem por isso os noivos estavam menos radiantes. Na sala do Registo Civil éramos apenas 10 pessoas, incluindo os noivos e o conservador, e uma pessoinha, filha dos noivos. A prova de que, para as pessoas serem felizes, não é preciso um casamento aparatoso, com duzentos convidados e festa de arromba.


Na minha maneira de pensar, hoje em dia, até o próprio casamento civil é dispensável, o "papel passado" não confere mais seriedade ou responsabilidade à relação. O que é certo é que as convenções sociais continuam a ter alguma influência nas pessoas e não deixa de ser um momento para recordar por mais singelo que tenha sido como aquele a que eu fui ontem.



Se eu voltasse a casar, teria que ser com os pés na areia da praia, ao pôr do sol, em que a única música fosse o bater das ondas e o som das gaivotas.

3 comentários:

Jorge Freitas Soares disse...

O meu casamento não foi muito diferente do que contas ... e cada vez me sinto mais feliz com a escolha que fizemos.

Jorge

Dama das Camélias disse...

O meu casamento não levou 10 convidados, mas foram apenas os familiares e amigos mais chegados. Se voltasse a casar faria o mesmo.

Gosto da circunstância, mas abdico do exagero de convidados que ali estão apenas para fazer numero.

E também casei no registo.

Beijinhos

maria disse...

Um casamento é primeiro que tudo a união de duas pessoas que se amam...no registo é para que tenham direitos perante a lei, na igreja é apenas uma cerimónia religiosa e bonita...com 10 convidados ou com 1000 é igual, desde que sejam felizes, tá-se bem :)

Beijinho :)

Também poderá gostar de

Related Posts with Thumbnails