quinta-feira, 9 de setembro de 2010

"Danúbio" de Cláudio Magris


Este livro fez parte de uma das colecções da Biblioteca Sábado e andava aqui por casa há muito tempo. Quando fizemos as malas para "As quatro capitais da Europa Central", também lá ia mas, na verdade, só lhe peguei quando voltei. Ler o "Danúbio" foi uma maneira de ir prolongando, por mais uns dias, as deambulações pelo centro da Europa. O rio Danúbio é o segundo rio mais longo da Europa tendo cerca de 2800 km de extensão, cruza vários países e passa por 4 capitais, Viena (Aústria), Bratislava (Eslováquia), Budapeste (Hungria) e Belgrado (Sérvia) e por muitas outras cidades importantes.
O autor, Cláudio Magris, nasceu em Trieste (Itália) em 1939 e licenciou-se como germanista na Universidade de Turim. Para além de ser docente na Universidade de Trieste, é ensaiasta e colunistas em vários jornais. "Danúbio" de 1986 foi considerada a sua obra-mestra sendo considerado um dos mais importantes escritores italianos contemporâneos. A sinopse desta obra diz assim:

"Nos anos 80, Cláudio Magris realizou uma viagem seguindo o rio Danúbio. Ao longo de um percurso que atravessa a Alemanha, a Áustria, a Hungria, as antigas Checoslováquia e Jugoslávia, a Roménia e a Bulgária, o autor alterna o relato de episódios significativos com descrições da paisagem física e cultural, até formar uma malha de ideias que aproxima esses países num espaço comum. Neste périplo misturam-se o ensaio, o romance, o diário e a literatura de viagens, e aparecem paisagens, paixões, encontros, reflexões... Uma viagem "sentimental" em que Magris explora o conceito da Mitteleuropa fundamental para a compreensão da cultura europeia"

Este livro foi uma experiência de leitura muito diferente daquilo que eu estou habituada. Em vez de ter uma história como linha condutora, a linha condutora é o próprio rio e a relação das cidades, dos intelectuais, dos que estão de passagem ou dos locais, com o rio. A viagem que o autor empreende começa na Floresta Negra e segue até ao delta onde o rio se junta com o Mar Negro. Mais do que uma viagem física ou sentimental, a verdadeira viagem é intelectual já que vamos descobrindo todos os autores que já escreveram sobre o Danúbio ou que foram influenciados pela proximidade com o rio nas suas obras. Não foi um livro fácil de ler mas valeu a pena acompanhar Cláudio Magris nesta viagem, quase como se fizesse um cruzeiro no Danúbio...

3 comentários:

aespumadosdias disse...

Gostava de conhecer as Balcãs.

BETE disse...

Parabéns pelas sábias palavras na Abertura de teu blog!...Tenho 54 anos, e até a 2 anos atrás, eu ainda achava que minha felicidade dependeria sempre de estar com alguem...Hoje, felizmente, tb já sei que ela está dentro de mim!...Tomara que você não tenha demorado tanto tempo, como eu, para descobrir isso!
Bete

AVOGI disse...

Mas sempre que eu venho aqui faz-me cá uma brotoeja no corpo!!!

Também poderá gostar de

Related Posts with Thumbnails